Escrevo e Amo de Pau Duro

Escrevo e Amo de Pau Duro é uma seleção de contos e poemas eróticos. Em cada um dos textos, o leitor irá notar a união de poesia e erotismo, sem pudores e palavras comportadas. A pornografia aqui caminha junto ao romance, ao existencial e a situações cotidianas diversas.

Somos um só

E tua boca envolve com gula minha carne. E sinto tuas pernas bambas enquanto faço tour com minha língua pelo teu corpo. Caminho com os dedos pela textura de tua pele até sentir tua umidade reveladora. Roço a barba no lugar preciso, aquele onde o pescoço vira ombro. E revelo meus dentes que chegam suavemente ao volumoso rabo. Mordo! Depois perco-me umedecendo tuas dobras e invadindo fundo com o anelar e médio tua boceta. Exploro com precisão a delicada forma de teu cu. Beijo grego arrepiando todos os pelos. E você me olha como quem fala sobre amor, suspira como quem discursa sobre tesão e se entrega como quem diz somos um só.

A cena era essa

A cena era essa: bota cano alto, hiper maquiada, eu encostado na parede e ela agachada. Os vidros da janela da sala tremiam com a ventania do lado de fora. Fazia um frio danado, mas o meu pau, o meu corpo e meu rosto ferviam. Chamava de putinha e ela pedia uns tapas na cara. E eu dava!

Isabela

Era uma gorda sensual, e adorava o fato de ser gorda. Se olhava no espelho e admirava os excessos que sobravam no culote e cintura. Quando criança, passava horas olhando aquelas imagens dos quadros renascentistas nos livros de arte do seu pai. O que mais gostava no seu corpo era a coxa roliça e a bunda saliente, adorava mostrá-las. Exibicionista. Biquíni pra ela, só os menores. Gostava de calça legging e salto alto. Era gorda e baixa. Frequentava academia, mas não por uma questão estética, era pura necessidade física. Elétrica, não parava um segundo e precisava gastar a energia de alguma forma. Além de exibicionista, tarada convicta. Sua maior fonte de prazer era a boca, devorando algumas guloseimas ou saboreando um pau duro e grande. Tamanho para ela era documento sim. Gostava dos maiores, dos mais grossos e dos que pulsavam mais. Tinha uma certa fixação pelos paus de cabeça bem rosada. Os olhos chegavam a brilhar. Seu corpo tinha espasmos quando sentia um cacete preenchendo seus lábios. A boceta encharcava na hora. Sexo para ela só no claro. Gostava de frequentar motel por causa da quantidade de espelhos espalhados pelo cômodo. Observava o vai e vem do corpo e as mãos apertando com vontade as dobras que se formavam. E o que de fato mais gostava, era de finalizar um pau com sua boca. Era capaz de gozar só de sentir aquele líquido tocando sua língua. A porra quente preenchendo sua garganta a enchia de alegria e saciedade.

Depoimentos

apenas 15 reais

PRODUTO 100% DIGITAL

✔ COMPRA 100% SEGURA

✔ ACESSO IMEDIATO, DE ONDE VOCÊ ESTIVER E QUANDO QUISER

✔ 21 DIAS DE GARANTIA

✔ 80 PÁGINAS

✔ 41 CONTOS ERÓTICOS

✔ ACESSO A LISTA DE E-MAIL COM CONTEÚDOS ERÓTICOS

Compre com tranquilidade, pois poderá efetuar o pagamento com seu cartão de crédito ou boleto bancário. Caso não tenha cartão, basta gerar o boleto e pagar com o aplicativo do seu banco. Sem complicações.

Seu link de acesso para baixar o livro será enviado automaticamente por e-mail assim que confirmar o pagamento. Suas informações são protegidas e sigilosas.

Satisfação 100% de garantia. 21 dias de garantia para pedir seu dinheiro de volta caso não goste do livro.

Sobre o autor

Zuza Zapata é poeta e cantor. Desde 2010 se dedica a música e poesia. Nesse tempo gravou seu primeiro disco, intitulado “Zuza Zapata”, e o segundo, intitulado “Crônicas de Ontem e Outras Saudades”, em que mistura poesia e rock. Foi um dos poetas selecionados para a exposição “Poesia Agora”, que ficou exposta no Museu da Língua Portuguesa e na Caixa Cultural. Lançou dois livros, Na Cidade Um Ruído Que Arde e Escrevo e Amo de Pau Duro. Realizou uma séries de apresentações musicais com sua banda pelo Brasil.