O LIVRO

Escrevo e Amo de Pau Duro é uma seleção de contos e poemas eróticos. Em cada um dos textos, o leitor irá notar a união de poesia e erotismo, sem pudores e palavras comportadas. A pornografia aqui caminha junto ao romance, ao existencial e a situações cotidianas diversas. Espero com esses textos excitar e naturalizar a busca pelo querer erótico. Nesta segunda edição do livro alguns textos sofreram leves alterações. Além disso, foram incluídos mais dezoito textos, totalizando quarenta e cinco textos. Boa leitura.

JULIANA

Penso em Juliana! Estou apaixonado! Escrevi quarenta poemas falando da beleza das dobras do seu cu. Estou apaixonado e diariamente penso em fodê-la. Juliana é uma dessas mulheres que combinam comigo em níveis subatômicos. Ela gosta de dar o cu. Eu gosto de comer cu. Ela gosta de ter a boceta chupada. Eu gosto de chupar bocetas. Ela acha o meu pau lindo. Eu a acho linda em todas as camadas: olhos, pele, cabelo, cu, boceta e alma! Meu peito rufa quando tenho que encontrá-la. Juliana! Juliana! Juliana! Penso nela no café pela manhã. No almoço, bebendo vinho. E desejo ser seu companheiro nos dias frios e nublados. Espero seu chamado para envelhecermos à beira do mar, ouvindo histórias de sereias e naufrágios. De marujos e viúvas taradas sonhando a volta dos marinheiros que se lançaram ao mar. Presenteei Juliana com um plug anal de aniversário. E ela ficou tão grata que usou durante todo o dia. Juliana é uma dessas mulheres que combinam comigo, com minhas perversidades, que enxerga o amor brotando no lodo de nossas almas, nas vísceras do nosso corpo. E que enxerga no sujo que nos acompanha, e nos espectros e nas entidades, a possibilidade de encontrarmos a paz. 

O CHEIRO

O cheiro de tua boceta
Me embriaga!

 

E você chega
Suada da rua
E deita nua na cama
De pernas abertas
Fala: "me lamba".

 

E minha língua atrevida
Incendeia teu grelo
E arrepia teu cu
Que me deseja inteiro

CINDERELA

Trocou 

A sapatilha de cristal

Por um delicado

Plug anal

GOZE

Goze gostoso, goze baixinho
Rindo ou chorando
Goze gritando, fazendo alvoroço
Sozinha, em dupla, em trio, em quatro
Goze de quatro
Nos campos verdes de Campos do Jordão
Goze forte, cravando as unhas
Goze calmo, se perdendo nos olhos, bem fundo
Goze de manhã bem cedinho, antes do bom dia
Goze na alegria ou na tristeza
Na saúde ou na doença
Goze gritando por Deus
Já que o gozo é sagrado
Goze mas espere por mim
Que tô chegando com uma fome do diabo

ISABELA

Era uma gorda sensual, e adorava o fato de ser gorda. Se olhava no espelho e admirava os excessos que sobravam no culote e cintura. Quando criança, passava horas olhando aquelas imagens dos quadros renascentistas nos livros de arte do seu pai. O que mais gostava no seu corpo era a coxa roliça e a bunda saliente, adorava mostrá-las. Exibicionista. Biquíni pra ela, só os menores. Gostava de calça legging e salto alto. Era gorda e baixa. Frequentava academia, mas não por uma questão estética, era pura necessidade física. Elétrica, não parava um segundo e precisava gastar a energia de alguma forma. Além de exibicionista, tarada convicta. Sua maior fonte de prazer era a boca, devorando algumas guloseimas ou saboreando um pau duro e grande. Tamanho para ela era documento sim. Gostava dos maiores, dos mais grossos e dos que pulsavam mais. Tinha uma certa fixação pelos paus de cabeça bem rosada. Os olhos chegavam a brilhar. Seu corpo tinha espasmos quando sentia um cacete preenchendo seus lábios. A boceta encharcava na hora. Sexo para ela só no claro. Gostava de frequentar motel por causa da quantidade de espelhos espalhados pelo cômodo. Observava o vai e vem do corpo e as mãos apertando com vontade as dobras que se formavam. E o que de fato mais gostava, era de finalizar um pau com sua boca. Era capaz de gozar só de sentir aquele líquido tocando sua língua. A porra quente preenchendo sua garganta a enchia de alegria e saciedade.

COMPRE AGORA

R$ 9,90

Compre AGORA o eBook no formato PDF ou no formato para KINDLE. Este é um produto digital, você receberá os dados para acessá-lo via internet.

"Escrever erótica tornou-se um caminho para santidade em vez de para a libertinagem"

Anais Nin

AUTOR

Zuza Zapata nasceu em 1983, na cidade de Macaé, RJ. É poeta e cantor. Desde 2010 se dedica ao seu trabalho artístico com música e poesia. Nesse tempo gravou seu primeiro disco, intitulado “Zuza Zapata”, e o segundo, intitulado “Crônicas de Ontem e Outras Saudades”, em que mistura poesia e rock. Foi um dos poetas selecionados para a exposição “Poesia Agora”, que ficou exposta no Museu da Língua Portuguesa, em SP, e na Caixa Cultural, em Salvador e no Rio de Janeiro (2017).

 

CONTATO